Tempodofim.com.br

Profecias para o tempo do fim



Muralha de Fogo


Este texto faz parte do livro: Muralha de Fogo, deste editor, mais sobre Propriedade Privada.

1 - Porque alguns crentes têm medo de acontecer algo terrível com eles ou medo do futuro?

2 - Porque não conhecem o poder de Deus e suas revelações para o seu povo.

3 - “Respondeu-lhes Jesus: Porventura não errais vós em razão de não compreenderdes as Escrituras nem o poder de Deus?” Marcos 12.24

3.1 - "Eis que envergonhados e confundidos serão todos os que estão indignados contra ti; serão reduzidos a nada, e os que contendem contigo perecerão." Is 41.11

4 - Sendo a Bíblia Sagrada, nossa regra de fé e prática, ela é o risco pelo qual devemos caminhar, enquanto estivermos andando encima do risco traçado por ela, estamos seguros.

5 - Há de se esclarecer que, o crente pode passar por tribulação para santificação, (Ap 2.10) pagar o preço por alguma coisa ou pessoa ou para que o nome do Senhor Jesus seja glorificado, fora estas três possibilidades, ele está totalmente protegido por uma muralha de fogo.

6 - Primeiro caso: Santificação

6.1 - Prova: Vamos trabalhar com um dos casos mais chocantes da Bíblia Sagrada. O caso do profeta Eli e seus dois filhos: Eli, profeta antigo, do final do período dos Juízes, tinha dois filhos: Hofni e Finéias, ambos cometiam dois tipos de pecados gravíssimos: furtavam as melhores ofertas (carnes de primeira) do altar [hoje é o dízimo ou o envelope mais cheio] (1Samuel 2.12-17). Mas este pecado era pequeno perto do segundo: “deitavam” com as mulheres que serviam na tenda da congregação. Hoje, é o homem do altar “deitando” com as obreiras. Lógico que isto é um absurdo, mas os absurdos acontecem. Afinal, a carne é muito fraca. (1Samuel 2.22). E os filhos de Eli, nem ligavam para isto quando eram repreendidos, todos sabiam do que estava acontecendo, o pai deles repreendia, mas continuava protegendo-os. Hoje, é o Pastor que protege o pecador porque é seu parente ou dizimista “fiel”. Salmo 01.

6.2 - E Deus avisou que o castigo vinha: (1Samuel 2.27-36) mais especificamente no (30)

6.3 - Resultado: Israel foi atacado pelos inimigos, perdeu a guerra, morreram num mesmo dia, o Profeta Eli, seus dois filhos, e uma nora que estava grávida, trinta mil soldados, e o pior de tudo: levaram a Arca da Aliança de Deus para com os homens. Hoje, isto é o mesmo que ter a Igreja fechada e quebrado a aliança com Deus. É como se o inimigo vencesse por um instante. (1Samuel 4.10 e 21).

6.4 - Como costumo dizer: O pecado nacional é causa da calamidade pública. Mas, Deus normalmente tem um homem que é o motivo da sua misericórdia em toda sociedade, [porque vive na brecha (Habacuque 3.17 e 18) – este homem, é o fiel da balança de Deus para com os homens naquela sociedade], quando este homem sai da presença de Deus, não tem mais motivo de misericórdia, restando apenas o juízo de Deus para com os homens.

6.5 - Homem de Deus, atente com muito critério para isto: milhares ou até milhões de vidas poderão estar em sua mão, se você relaxar a vigilância, eles poderão escapar, e jamais voltarão outra vez. Ester 4.14.

6.6 - “Sê vigilante, e confirma o restante, que estava para morrer...” (Ap 2.3)

6.7 - Quando dizemos: Senhor Deus Todo poderoso, tem misericórdia de fulano e beltrano. Estamos confirmando estas pessoas diante de Deus, porém esta confirmação só será validada por Deus, se primeiramente, nós, intercessores, estivermos na presença, do contrário, a nossa oração é apenas como barulho de lata vazia, não chega ao trono de Deus.

6.8 - “Disse mais o Senhor: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito, descerei agora, e verei se em tudo [que] têm praticado [é] segundo o seu clamor, que a mim tem chegado; e se não [for], sabê-lo-ei”. (Gn 18.20 e 21)

 

6.9 - Existe uma infinidade de passagens demonstrando que Deus, envia o seu povo para o castigo quando o “seu povo” está desviado do Caminho de Deus. Não vamos explorar isto, porque este assunto é conhecido de todos. Mas, contudo farei algumas citações para fins de leitura:

 

6.10 - (Juízes 2.11-15;); (Juízes 3.7-9); (Juízes 10.6-9) e em todos os livros da Bíblia a história se repete: pecado > castigo > arrependimento > livramento. Portanto, ficou esclarecido: se pecarmos, o Senhor “nos manda” para o castigo e espera o nosso arrependimento para nos tirar da provação.

 

6.11 - Há um detalhe que deve ser conhecido de todos: Quando pecamos, perdemos poder, e os nossos inimigos [demônios] (Mt 18.34) nos escravizam, e Deus fica esperando que agente volte ao poder mediante arrependimento de pecado para “poder” nos livrar  dos nossos inimigos.

 

6.12 - “Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós”. (Tiago 4.7)

 

7 - Segundo caso: Glorificação do NOME de Jesus:

 

7.1 - São muitos os exemplos bíblicos, mas há um que é crucial, e bem conhecido de todos, o caso de Jó.

 

7.2 - Jó era um homem íntegro e, temente a Deus e que se desviada do mal, no entanto, com tantas qualidades, mesmo assim, DEUS, resolveu moer o homem “perfeito”. (Jó 1.1)

 

7.3 - Até hoje, ninguém conseguiu datar o livro de Jó, e nem a sua autoria, o que existe é mera especulação, mas é certo que ele viveu pelo menos a três mil anos atrás. Isto é para que tenhamos uma idéia da perfeição do operar de Deus. Não existe o fator tempo para Deus operar. Ele é o mesmo, ontem, hoje e sempre. A mensagem de Jó é perfeita para os nossos dias.

 

7.4 - Jó era o mais rico do oriente, tinha uma bela família, tinha saúde e era amado por todos da sua época, (Jó 1.1-5) até o dia que caiu na miséria e doença, a partir daí, todos lhe abandonaram, mas Deus continuou com ele até o dia da sua vitória.

 

7.5 - Porém, Satanás, subiu ao trono de Deus, e disse para Deus: [Jó, te ama porque tu da de tudo para ele e o protege, e construiu uma muralha de fogo ao redor dele e de seus familiares, tira tudo dele, e ele vai blasfemar na tua face]. (Jó 1.6-12).

 

7.6 - Até parece que Deus estava incitando Satanás a dizer isto, porque antes disto, Deus disse:

 

7.7 - “Observaste o meu servo Jò: Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal”. (Jó 1.8)

 

7.8 - Para mim, Deus tem sempre mais uma carta na manga, quando todos pensam que o servo de Deus saiu perdendo, vem as provas da vitória e da glorificação do Nome de Jesus.

 

7.9 - Jó foi provado ao limite e não blasfemou e Deus lhe deu o dobro da riqueza que tinha, lhe deu outra esposa e outros filhos, e lhe deu mais 140 anos de vida. (Jó 42.12 e 13) O Nome do SENHOR foi glorificado, e o diabo foi envergonhado.

 

8 - Terceiro caso: Pagando o preço:

 

8.1 - Tem ainda este último mistério, que é pagar preço pelos outros. Pode ser o preço pela liberdade física ou espiritual de alguém, pela vida de alguém ou pela vitória de alguém em uma determinada luta.

 

8.2 - Como por exemplo: Jesus pagou o preço por nós, sendo perfeito, imaculado, santo, morreu como se bandido fosse, cuspido, apedrejado, surrado, e crucificado, para nos livrar do pecado e do inferno.

 

8.3 - E este pagamento, se manifesta de variadas forma, ora é com jejum, ora é com oração pela madrugada, e ora é de forma totalmente inusitada, e como as possibilidades são muito vastas, nem convém falar.

 

9 - A muralha de fogo:

 

9.1 - Costumamos dizer: Estou protegido pelo Sangue do Cordeiro.

 

9.2 - E isto é verdade, porém, na prática isto é uma força de expressão que nos arremete para o andar em perfeição e ai então teremos a cobertura do Sangue de Jesus. Quem não anda em novidade de espírito, não tem a cobertura do Sangue de Jesus.

 

9.3 - Para que o Sangue de JESUS nos proteja, [faça efeito] é preciso que estejamos debaixo dele, e só estamos debaixo dele, quando estamos andando em santidade, vigiando o tempo todo.

 

9.4 - Tocar no povo de Deus, é pedir para morrer, não tem como escapar. É destino selado. No momento que o inimigo faz o plano de atacar, Deus manda os anjos para anular o ataque e reverter contra o inimigo. A vingança pertence somente a Deus, e nunca falha. É a nossa parede de fogo invisível, mas real.

 

10 – Exemplos bíblicos de muralhas de fogo:

 

10.1 - A muralha de fogo protege Eliseu: O profeta Eliseu é visitado pelo exército da Síria, que pretendia prendê-lo para impedir que ele continuasse a revelar a posição do inimigo ao seu rei em Samaria, Deus mandou um exército de anjos, Eliseu orou e Deus abriu os olhos do seu moço Geazi e ele viu o exército de Deus, que estava entre eles e o exército da Síria formando uma muralha de fogo. (2Rs 6.15-19)

 

 

 

10.2 - Abrão e Sara: A fome levou Abraão e sua esposa Sara a peregrinar em Gerar, e lá, o rei Abimeleque achou Sara bonita e levou ela para casa. Mas ninguém toca em mulher de profeta e fica vivo para contar. Como Abimeleque estava “inocente” Deus deixou ele viver, mais pagou pela ousadia. Gn 20.3

 

10.3 - Ló em Sodoma: No tempo de Ló, a terra estava se corrompendo novamente, de modo semelhante aos tempos de Noé, [mas como Deus prometeu não destruir novamente a humanidade], (Gn 9.11) resolveu destruir apenas os bolsões de fantoches. Ló e sua família saíram vivos, mas o povo de Sodoma e Gomorra foram aniquilados. GN 19

 

10.4 - José no Egito: A santidade de José lhe causava sérios problemas por causa da inveja dos seus irmãos e dos sonhos proféticos que ele tinha, tentaram matá-lo, venderam-no como escravo, mas José deu a volta por cima, venceu o mal e o destino, envergonhou os seus perseguidores e se tornou grande e poderoso. Deus reverte o quadro ruim e uma coisa boa.  Gn 37

 

10.5 - Moisés: O rei do Egito, faraó, decretou que todo menino homem, dos filhos dos hebreus deveria ser jogado vivo no rio e deixado lá para morrer afogado e servir de comida para os animais, ele tinha medo do povo de Deus vencê-lo, como de fato aconteceu, mas o destino, quero dizer, a mão de Deus, agiu e impediu que Moisés seguisse o seu cruel destino e morresse, ao contrário, seus perseguidores o criaram, o alimentaram e o educaram, preparando-lhe para as vitórias futuras. Mas faraó e seu exército foram liquidados.  Ex 2

 

10.6 - Passagem no Mar Vermelho: Os perseguidores do povo de Deus, insatisfeitos com as constantes derrotas, sofridas durantes as dez pragas, continuaram a persegui-los, até selarem o destino de todos os soldados do Egito. O mar se abriu e o povo de Deus passou a pés enxutos e quando o exército de faraó estava passando pelo mar aberto, este se fechou por cima dos homens e cavalos, matando a todos. Até hoje os carros de ferros estão no fundo do mar, esperando os arqueólogos. Ex 14.27 a 29

 

10.7 - A terra se abriu: Três homens em “campanha política” contra o ungido de Deus, que desastre. Corá, Datã e Abirão, se diziam tão santos quanto Moisés e por isto tinham direito a dar ordens no povo e dizer para onde ir. A isto, Moisés disse: “Veremos quem é o santo de Deus, se a terra se abrir e engolir os três e os seus seguidores, é porque eu sou o enviado de Deus para esta obra”. E assim aconteceu. Querer medir força com o homem de Deus, e querer medir força com Deus, é derrota certa. Nm 16.20-35

 

10.8 - Balaão: Um homem, um profeta de Deus, mas também um louco, porque sabia que não podia amaldiçoar o povo santo, nem por muito e nem por pouco dinheiro, aumentou a oferta, aumentou o desejo, mesmo assim insistiu e Deus para provar a sua competência, disse: vai! E ele foi, mas não conseguiu amaldiçoar, ao contrário, foi obrigado a abençoar e depois foi morto a espada. Nm 23.8, 23

 

10.9 - Casa santa: Deus santo, povo santo, casa santa, inimigo aniquilado. Dt 23.14

 

10.10 - Poder avassalador: “Como poderia um só perseguir mil, e dois fazerem fugir dez mil”. Dt 32.30

 

10.11 - Jericó cai de medo: Uma cidade de altas muralhas, onde passavam dois carros lado a lado por cima delas com mais de sete metros de altura, guarnecida noite e dia. Deus disse para Josué: “Todos os homens de guerra rodearão a cidade uma vez por dia, durante seis dias, no sétimo dia, rodearão por sete vezes e sete sacerdotes tocarão sete trombetas e as muralhas cairão.” Isto parece uma coisa ridícula, mas o nosso Deus, nos manda fazer coisas assim para sabermos que a vitória vem Dele e não do  nosso braço. Js 6 – todo

 

10.12 - Deus para o universo por um dia para socorrer o seu povo: O povo de Israel estava em uma guerra, mas Josué, seu líder, precisava de mais luz para ver melhor o inimigo, e ordenou que o universo parasse, o universo realmente parou. A primeira vista, agente pensa que foi só o sol e a lua que pararam por vinte e quatro horas, ou a terra parou de girar, mas não se para apenas uma engrenagem de uma máquina, se pararmos apenas uma engrenagem a máquina quebra. Deus parou o universo, e o povo venceu o inimigo. Js 10.12-14

 

10.13 - O Senhor vai na frente da peleja: As nossas lutas não são nossas, são do Senhor. Js 23.8-10

10.14 - 300 vencem 120.000 homens: Um anjo vai a um homem valente, Gideão, e faz um desafio: vencer uma guerra sem ter um exército. Quando Gideão chamou o povo para a luta, Deus mandou ele selecionar o povo, tirando fora todo medroso e todo que não vigia e só ficaram 300 e estes foram o suficiente para Gideão vencer a guerra contra 120.000 homens. Jz 7.6 e Jz 8.10

10.15 - Um homem mata mil: Sansão, um verdadeiro super homem, só não era mais poderoso porque era inclinado à prostituição, mesmo com suas falhas humanas, ainda detinha uma força avassaladora que vinha de Deus, em uma luta pegou a queixada de um jumento e matou mil homens. Jz 15.15

 

10.16 - Um menino mata um gigante: Davi tinha dezessete anos, uma metro e sessenta e cinco de altura, ruivo e magro. Quando ele disse que ia enfrentar um homem de três metros de altura, pesando duzentos quilos, acostumado a matar centenas de soldados em uma só luta, não passou de motivo de riso, inclusive no momento de enfrentar o gigante Golias, este olhava para Davi, dava gargalhadas e fazia piadas da cara de Davi. Mas Golias não sabia de uma coisa: Davi tinha o mau hábito de matar leões e ursos, e matar um homem para Davi era mais fácil ainda, e de fato foi. Golias morreu pela lamina da sua própria espada. 1Sm 17.49-51

 

10.17 - Elias mata 102 soldados: É fácil para o rei ficar em seu trono comendo peru assado enquanto os soldados se estraçalham no campo de batalha. O rei Acazias, caiu pela janela e ficou entre a vida e a morte, mandou que seus capitães fossem a um bruxo, fazer consulta ao deus de Ecron, Baal-Zebute, para saber se ficaria bom, mas Deus, mandou um anjo dizer ao profeta Elias que falasse aos soldados que havia Deus em Israel e que por causa disto o rei iria morrer. O rei não gostou do recado e mandou que o profeta fosse conduzido a ferro até ele, mas Elias profetizou fogo do céu sobre o capitão e seus cinqüenta, todos morreram e veio outro e novamente morreram, e veio um terceiro e se humilhou, a este, Elias atendeu o pedido e foi ter com o rei. Triste coisa é cair na mão de Deus.  1Rs 2.19-15

 

10.18 - Hamã o traidor do povo de Deus é enforcado: O povo de Deus estava cativo em Babilônia, um homem chamado Mordecai, hebreu, estava se destacando na administração do rei Assuero, um outro homem, chamado, Hamã, babilônico, invejoso, mau, assassino, resolveu, aniquilar com o povo de Deus que estava passando provação na mão do inimigo, mas Deus despertou o povo, e todos fizeram jejum por três dias, o rei tomou conhecimento e o mau foi revertido contra Hamã e na forca que ele mandou levantar para Mordecai ele mesmo foi enforcado. Vitória total do povo de Deus. Et 7.10

 

10.19 - Os inimigos de Daniel vão para a cova dos leões: O povo de Deus estava cativo em Babilônia, agora o homem era Daniel, o rei era Nabucodosor e o inimigo novamente eram os políticos da época, que resolveram aniquilar a Daniel por ser um dos três homem mais importante em Babilônia, abaixo do rei. Motivo, inveja e ganância por poder político. Forjaram um decreto que proibia qualquer um a adorar a Deus por um mês, Daniel desprezou isto e continuou adorando três vezes ao dia, prenderam a Daniel e o apresentaram  ao rei, como sendo um traidor, o rei mandou que o lançassem na cova dos leões. Daniel passou uma noite com os leões e saiu vivo. O rei mandou que lançassem os traidores na cova dos leões, todos, inclusive os seus filhos, foram aniquilados. Dn 6.22-24

 

10.20 - 42 Rapazes são mortos por uma ursa: Quarenta e dois rapazes resolvem zombar do homem de Deus, Elizeu, profeta poderoso nos tempos dos reis de Israel, ingenuamente diziam: “sobe calvo... sobe calvo” zombando dele, porque era calvo, e porque havia visto Elias subir numa carruagem de fogo com cavalos de fogo. Como se dissessem: “tu além de careca, é feio e não tem poder”. Se enganaram, Elizeu os amaldiçoou em o nome do SENHOR, vieram duas ursas do bosque e matou a todos. Coitados, estavam zombando de Deus e não sabiam. 2Rs 2.23

 

10.21 - As duas oliveiras: “Sim, se alguém pretender causar-lhes dano, certamente, deve morrer.” Dois homens cheios do poder de Deus, farão grandes sinais e prodígios durante a tribulação, e quem ao menos planejar o mau contra eles, certamente morrerá. Ap 11.5

 

10.22 - Como se pode perceber, quem anda em novidade de vida, em santidade, não tem com que se preocupar, deve seguir sua vida normalmente, porque Deus constrói uma verdadeira muralha de fogo  ao seu redor para lhe proteger.  O próprio Satanás é obrigado a confessar isto.(Jó 1.10)

 

 

Pastor Mota

 

 

 

 

 

 




"Quando a ciência se multiplicar, Jesus voltará". (Dn 12.4) A ciência já se multiplicou, Jesus está voltando. Você está preparado?