Tempodofim.com.br

Profecias para o tempo do fim



Sambalate - A guerra dos demônios contra a obra de Deus.


A ordem de Jesus para aqueles que fazem a obra de Deus é:

"Não temas, mas fala e não te cales" Atos 18.9

Introdução:

a) Quando estivermos fazendo alguma coisa para Deus, e não houver nenhum levante demoníaco, pode ter certeza, a obra está sendo feita de acordo com a vontade dos demônios, e não de acordo com a vontade de Deus. Porque, quando tudo está no centro da vontade de Deus, os demônios atacam.

b) Não existe obra de Deus sem oposição, não se atira pedra em árvore sem frutos, se a árvore está levando pedradas é porque tem muitos frutos bons e querem derrubá-los a qualquer custo.

c) Quando Deus chama alguém, Ele prepara e envia, mas dificilmente Ele diz que vai haver oposição, para não desencorajar o guerreiro. Mas isto é normal, as lutas vão aparecendo durante as batalhas, até o fim da guerra.

d) Concordo com qualquer pessoa que estou profetizando coisas absurdas, mas as coisas de Deus são todas absurdas. Não fui levantado para agradar a homens e nem a demônios e sim a Deus. Os crentes são chamados para crerem em cosias absurdas. Quem acredita em milagres, acredita em coisa absurda, e embora os demônios creiam e estremeçam, (Tg 2.19) eles não podem mais se arrepender, já estão condenados. Foram condenados porque se levantaram contra Deus. Quem se levanta contra a obra de Deus, não recebe perdão eternamente, já está julgado e condenado pela Palavra. Quem crítica a obra de Deus está blasfemando contra o Espírito do Senhor, é pecado sem perdão, eternamente. Pedra lançada não volta atrás.

e) "Não lhes encubras a iniqüidade, e não se risque de diante de ti o seu pecado, pois te provocaram à ira, na presença dos que edificavam." (Ne 4.5)

f) Triste coisa é cair na mão do Altíssimo. Castigo horrendo está reservado para aqueles que se levantam contra homens e mulheres de Deus que estão pregando o Evangelho, tanto nesta vida como na vida eterna.

1 - A santidade de Neemias - Neemias, era um servo de Deus com qualidades especiais: era homem de oração, conhecia a Palavra, sabia aonde se encontrava, (físico = Susã em Babilônia - espiritual = castigo) sabia porque estava ali e sabia que tinha que permanecer ali até terminar o castigo imposto por Deus por causa do pecados dos seus ancestrais.

1.1 - Neemias era homem poderoso diante de Deus, por ser humilde e pelo fato de que ao saber que a sua cidade, Jerusalém, estava em ruínas, o povo em grande miséria, com os muros derribados e suas portas queimadas, de imediato entrou na presença do Altíssimo em jejum e quebrantamento de espírito. Se jogou de forma humilhante diante dos pés daquele que tem poder sobre tudo e sobre todos, para ver se encontrava misericórdia pelo seu povo e sua cidade.

1.2 - Fez uma oração de humilhação: "E faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, os quais temos cometido contra ti; pois eu e a casa do meu pai temos pecado". (Ne 1.6) Ele sabia que estava no castigo pelo pecado, e precisava receber a remissão destes pecados diante de Deus. E Deus, que é infinitamente misericordioso, atentou para a oração de Neemias prontamente.

2 - A obra designada - Neemias recebeu de Deus a incumbência de restaurar ou reconstruir os muros de Jerusalém. Isto parece uma coisa normal e fácil quando se tem a mão de obra e o material. Mas como se tratava de Jerusalém, a cidade santa, uma cidade espiritual, a restauração dos seus muros era muito difícil, e realmente foi, por causa da oposição dos inimigos da obra de Deus, homens -demônios.

3 - As dificuldades - Neemias, encontrou um povo em estado de miséria, sem fé, pobres em todos os aspectos, explorados pelos mais ricos, ao ponto de terem que vender todas as suas posses e até os seus filhos para poderem continuar vivos, encontrou também uma cidade em ruínas, as casas despedaçadas, cidade destruída, sem praças e sem muros e o povo sem esperança, este era o retrato da cidade santa.

3.1 - Neemias também encontrou uma pequena classe rica que explorava os pobres, uma classe de obreiros de Deus, desviados e miseráveis, e por fim uma classe de homens que eram estranhos á aliança de Abraão com Deus, que não tinham parte no pacto da aliança divina com os homens, não tinham os seus nomes na genealogia do povo de Israel, mas que também ofereciam sacrifícios a "deus" a muitos anos, entre eles se destacaram alguns que fizeram grande oposição a obra de reconstrução dos muros, e fizeram isto porque eram homens demônios. Porque eles ofereciam sacrifícios, se eram homens demônios? Pelo simples fato de que não fazia diferença quem estava oferecendo sacrifício naquele período de tempo.

3.2 - Deus prefere obediência do que sacrifício:

3.3 - "...Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à voz do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, do que a gordura de carneiros". (1Sm 15.22)

 

3.4 - Os demônios e os homens malignos, podem fazer sacrifícios, mas, jamais conseguirão obedecer a Deus. Eles fazem algumas coisas parecidas com obediência, porém o propósito final é sempre o mesmo: levar as pessoas para o inferno.

3.5 - Isto fica claro, no caso deste homens: Sambalate, Tobias e Gesém, os três se ofereceram para ajudar na reconstrução e nos sacrifícios, ao ouvirem um não, se tornaram inimigos do povo de Deus e das coisas de Deus.

4 - Os opositores - Sambalate, Tobias e Gesém, estes três homens eram na aparência homens como qualquer outro do planeta, mas eles tinham algo de diferente, algo que poucos "homens" tem, eles não tinham almas e tinham um demônio comandando o corpo, eles eram homens sem alma, eram fantoches.

4.1 - A maneira mais fácil de se perceber que uma "pessoa", não é gente, e sim demônio, é quando ele faz oposição à pregação do Evangelho. Os fantoches odeiam o Evangelho e os seus pregadores. Perseguem e querem matar, fazem de tudo para destruir a obra de Deus.

5 - A oposição - Não precisa existir motivo para os demônios fazerem acusações contra os que estão fazendo a obra de Deus, especialmente os líderes, se não houver nenhum motivo eles inventam, se não, fazem armadilhas miraculosas para agarrar os líderes e colocá-los em situação de cheque, de forma que seja impossível a obra continuar. Este é o pensamento dos demônios:

5.1 - "... As suas mãos largarão a obra, e não se efetuará". (Ne 6.9)

5.2 - Percebe-se claramente, que a única intenção é fazer cessar a obra de Deus, não importa o motivo.

5.3 - Com Neemias, os demônios tentaram de todas as formas imagináveis, fizeram incontáveis ameaças, enviaram mensageiros mentirosos, contrataram profetas mentirosos, mandaram cartas e mais cartas ameaçando atacar e matar os líderes da reforma do muro. Como Neemias, sabia contra quem estava lutando a resposta dele foi esta:

5.4 - "...Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria a obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco?  Ne 6.3

5.5 - Quem trabalha para Deus, não pode olhar para trás, e nem para os lados, tem que fazer de conta que não está vendo e nem está ouvindo. Dar ouvidos para demônios é a maior perda de tempo, "nossa luta não é contra carne e sangue, mas sim contra principados e potestades deste mundo tenebroso".

6 - Porque faziam oposição - É da natureza dos demônios fazerem oposição ao Evangelho e aos seus mensageiros, sempre foi assim, e sempre será, isto jamais mudará. Quem prega a Palavra tem que ter em mente isto: "Os demônios vão fazer oposição a mim e a obra que estou fazendo".

6.1 - Depois que Neemias reergueu os muros num tempo recorde de cinqüenta e dois dias, e colocou as grandes portas. A derrota dos demônios estava consumada.

6.2 - Quando Esdras foi reconstruir o templo, sofreu uma oposição demoníaca tão grande, que a obra ficou parada até o segundo ano do rei Dario, rei da Pérsia. Percebe-se com isto, que muitas vezes os demônios alcançam êxito com a ferrenha oposição. Isto não significa o fim da guerra, é apenas uma batalha perdida, mas a guerra continua, e o servo do Senhor, aquele que teme e estremece do nome Santo do Altíssimo, sempre sai vencedor.

7 - A luta - O crente está em permanente luta espiritual, seja por ele mesmo ou seja por outras almas, não existe conversão ao Senhor Jesus sem luta. Crente que não está lutando, está caído e não sabe. Demônio não faz oposição a pecador, ao contrário, trabalha a favor deles, evidentemente, na hora determinada, eles dão o golpe fatal, perda da vida e inferno.

7.1 - Crente que milita nas regiões das trevas, buscando arrancar alguma alma que esteja presa nas sendas do inferno ou mesmo na terra amarrada pelo pecado, tem que se humilhar e descer na olaria de Deus, jejum, e oração, alma transformada, lavada, vida passada a limpo. E não deve olhar para o comentário demoníaco, ele sempre acontecerá, mesmo que o crente esteja com a vida no altar de Deus.

8 - A insistência dos opositores - Jamais os demônios se cansam, eles lutam pacientemente, e eternamente, até serem lançados no lago de fogo e enxofre que é a segunda morte (Ap 21.8), esperar a rendição de um demônio é perder tempo, mesmo que um se renda, vem dois, três, a luta é permanente, até que o Senhor volte, haverá luta dia e noite. Ou o crente luta ou o crente cai.

9 - A vitória - Quem trabalha para Deus, sabe que terá que lutar arduamente para sair vitorioso, e sabe que trabalhando com sabedoria e vigilância não há margem de risco para erro ou derrota, o acerto é pleno, a vitória é total em Cristo Jesus, Senhor nosso e Salvador Nosso, o Amado do Pai. 

 

 

 

 




"Quando a ciência se multiplicar, Jesus voltará". (Dn 12.4) A ciência já se multiplicou, Jesus está voltando. Você está preparado?